fbpx
skip to Main Content

O que é Radiofrequência?

A radiofrequência é uma técnica que aquece todos os tecidos que têm moléculas de água em sua composição. Age por meio da geração de calor na derme, a camada intermediária da pele, induzindo a produção de novas fibras de colágeno.

A Radiofrequência facial é indicada para o tratamento de rugas, cicatrizes de acne e acne pustulosa ativa, além de flacidez do pescoço e papada.

Por sua vez, a Radiofrequência corporal é indicada para o tratamento de flacidez, celulite, estrias, redução da gordura localizada e medidas.

A técnica age por meio da emissão de correntes de alta frequência, de aproximadamente, 1560 a 200 kW, que aquecem o tecido abaixo da pele, estimulando a produção de colágeno e a melhora no aspecto da pele.

Fonte: SBCD

Radiofrequência Facial

A radiofrequência facial é um tratamento seguro, indolor e não invasivo que deixa a pele mais bonita e saudável, além de combater diversos sinais do envelhecimento. A radiofrequência facial tem como primeiro objetivo tratar a flacidez da pele por meio da estimulação da produção de colágeno.

Indicações da radiofrequência facial

Áreas que a radiofrequência facial pode ser aplicada:

  • Face: pálpebras flácidas, flacidez facial e cicatrizes de acne e acne pustulosa ativa.
  • Pescoço: rugas, flacidez do pescoço e papada.

Esse tratamento estético é indicado para combater alguns dos principais sinais do envelhecimento que atingem o rosto

  • Flacidez: consiste na perda de firmeza dos tecidos, o que faz com que os tecidos percam sua sustentação e “caiam”, o que dá um aspecto de cansaço e abatimento;
  • Rugas e linhas de expressão: uma pele flácida também fica mais sujeita ao surgimento das rugas, que ficam ainda mais aparentes com a diminuição do colágeno;
  • Papada: por atingir as células de gordura, a radiofrequência ajuda a eliminar a gordura localizada que se acumula embaixo do queixo;
  • Perda do contorno facial: a queda dos tecidos e o deslocamento da gordura fazem com que o rosto perca seu contorno, situação em que a radiofrequência também é indicada por deixar os ângulos mais evidentes.

Não existe idade ideal para fazer a radiofrequência facial, mas ela costuma ser procurada a partir dos 30 anos, para retardar tratamentos como aplicação de toxina e preenchimentos, e por pessoas mais velhas, para combater o envelhecimento.

Como a radiofrequência funciona?

A radiofrequência funciona por meio da emissão de correntes de alta frequência, que são geradas por um aparelho. Ao serem aplicadas na pele, as ondas eletromagnéticas agitam as moléculas de água, o que transforma a energia eletromagnética em calor.

Esse calor se desloca da superfície da pele (epiderme) para os tecidos mais profundos, sendo capaz de promover efeitos na derme e na camada de tecido adiposo que fica acima do tecido muscular.

O primeiro efeito da radiofrequência facial é que o calor estimula a contração das fibras de colágeno e elastina que se localizam na derme, a camada mais profunda da derme. Com isso, o rosto ganha um efeito de lifting, ficando mais firme e tonificado em dois ou três dias.

Já ao atingir a camada de gordura, o calor emitido pela ponteira faz com que as células adiposas se compactem, o que facilita o rompimento de sua membrana e a sua eliminação. Dessa forma, a radiofrequência também ajuda a tratar a papada, o acúmulo de gordura que acontece na região embaixo do queixo.

Como a radiofrequência facial combate o envelhecimento?

Embora o efeito de lifting apareça logo em seguida ao tratamento, o maior benefício é percebido cerca de dois meses depois, com a produção de novas fibras de colágeno.

Para que isso aconteça, é preciso que a epiderme seja exposta a uma temperatura de 41 graus Célsius, levando a derme a uma temperatura de até 2 graus a mais. Nessa faixa, ocorre a estimulação dos fibroblastos, as células que produzem o colágeno.

Assim, algumas semanas depois, as novas fibras já estarão maduras e vão conferir um rejuvenescimento gradual e natural, deixando a pele do rosto muito mais firme. Por isso, a radiofrequência facial é excelente para o tratamento da flacidez.

Outros benefícios da radiofrequência facial

Além da estimulação do colágeno, a radiofrequência facial promove outros efeitos benéficos para a pele do rosto, deixando-a muito mais bonita, saudável e jovem. Conheça os principais:

  • Estimulação da circulação sanguínea por promover uma vasodilatação local
  • Aumento do fornecimento de oxigênio e nutrientes para a pele
  • Reforço da microcirculação local, o que ajuda a eliminar as toxinas
  • Estimulação do metabolismo local e da atividade das enzimas
  • Reorganização da estrutura de suporte à pele

Dessa forma, a pele é estimulada a se regenerar e se renovar, suavizando as mudanças trazidas pela passagem do tempo.

Procedimento seguro e indolor

Uma das maiores vantagens da radiofrequência facial é que, diferente de outros procedimentos estéticos, ele não é invasivo e não provoca dores, o que dispensa a utilização de produtos anestésicos.

A única sensação durante o tratamento é a de aquecimento da pele, mas ela não é incômoda e não causa queimaduras, pois a temperatura externa não ultrapassa os 41 graus Célsius. Por isso, o tratamento é bastante seguro – desde que feito em uma clínica especializada.

Radiofrequência Corporal

A gordura localizada e flacidez são problemas que acometem homens e mulheres de diversas idades. Nem sempre estão associadas ao sobrepeso ou obesidade, mas fatores comportamentais, genéticos e hormonais podem influenciar o quadro.

Entre os procedimentos estéticos indicados para essa questão, está a radiofrequência – um tratamento dermatológico que auxilia na prevenção da gordura localizada, bem como a flacidez e celulite que costumam acompanhá-la.

O que é radiofrequência corporal?

A Radiofrequência é um tratamento dermatológico muito buscado por pacientes que desejam combater a gordura localizada e/ou eliminar a flacidez corporal.

A técnica consiste no aquecimento das camadas de pele, que tem moléculas de água em sua composição, por meio de ondas eletromagnéticas de alta frequência. Assim, durante a sessão de radiofrequência, a radiação faz com que as moléculas de água se agitem e elevem a temperatura.

É possível ajustar a radiofrequência para que atinja apenas a epiderme (camada superficial da pele), a derme (camada média em que estão as fibras colágenas) ou a hipoderme (células gordurosas), dependendo do objetivo de tratamento da cada paciente.

O procedimento estimula algumas reações fisiológicas no organismo, como:

  • Aumento da circulação sanguínea
  • Quebra de células de gordura (lipólise)
  • Induz a produção de colágeno
  • Oxigenação da região
  • Estímulo do metabolismo do paciente
  • Melhora do aspecto da pele

O tratamento estético é muito indicado devido sua versatilidade (pode ser feito em várias regiões corporais), eficácia e segurança. Além disso, outra vantagem da radiofrequência é que o procedimento não invasivo age apenas na área tratada, e não oferece riscos para outras regiões corporais do paciente.

O tratamento é muito procurado para tratar regiões como pescoço, abdômen, nádegas, coxas, braços.

Casos em que a radiofrequência corporal é indicada?

A radiofrequência é um tratamento estético indicado para pacientes próximo ao peso indicado, porém com gordura localizada em áreas difíceis de atingir apenas com exercício físico e dieta balanceada.

Também pode ser útil em quadros de flacidez excessiva, resultado do aumento de peso, emagrecimento rápido, idade avançada ou gravidez.

Além disso, o paciente pode recorrer à radiofrequência para melhorar a aparência da pele, combatendo celulite, estrias e quadros pós-operatórios.

A radiofrequência corporal é indicada nas seguintes áreas:

  • Colo: Rugas e flacidez do colo
  • Glúteos e coxas e região lombar: Melhora da aparência da pele, flacidez, celulite e estrias
  • Abdômen: Redução e melhora da gordura, redução de medidas, flacidez e estrias

Como o tratamento é realizado?

A radiofrequência corporal é um procedimento rápido e indolor que deve ser realizado em consultório médico.

A região tratada é higienizada antes da sessão e deve ser aplicado gel condutor ou vaselina para que a área esteja preparada para receber a alta frequência. Durante a radiofrequência, o tecido subcutâneo é aquecido, em temperatura entre 39° C a 43° C, para estimular reações fisiológicas do organismo.

Após a sessão, o paciente pode retomar suas atividades normalmente. É comum que a pele apresente vermelhidão e edemas após o procedimento, mas os efeitos não são preocupantes e somem pouco tempo depois.

A quantidade de sessões varia de acordo com a parte do corpo e o objetivo do tratamento, assim como da resposta corporal de cada paciente. Em geral, é necessário um intervalo semanal ou quinzenal entre cada sessão.

Alguns efeitos, como o aspecto físico e a firmeza da pele, podem ser percebidos desde a primeira sessão de radiofrequência.

Porém o resultado final não é imediato e será percebido ao decorrer do tempo, à medida que o organismo responder aos estímulos.

Vale lembrar que para atingir o objetivo inicial é necessário que a radiofrequência seja associada à bons hábitos, como uma alimentação balanceada, prática de atividade física e até mesmo outros procedimentos estéticos.

Quais as contraindicações e riscos da radiofrequência?

A radiofrequência é um tratamento rápido, indolor e que apresenta resultados ainda nas primeiras sessões. Diferente de outros procedimentos estéticos, pode ser feito no verão, pois não limita a exposição ao sol.

Em geral, o tratamento não deixa sinais na pele. Alguns sintomas como vermelhidão e calor podem ser percebidos na área tratada, mas são pontuais e passageiros.

No entanto, é fundamental que o procedimento seja feito com um profissional habilitado, pois o mau uso do aparelho pode causar alguns riscos, como queimadura na pele do paciente.

Saiba mais sobre Radiofrequência

Se você deseja iniciar o tratamento de radiofrequência, entre em contato comigo. Será um prazer ajudá-lo em seu processo de redescoberta e autoestima.

Back To Top
Falar com consultora
Olá! Precisa de ajuda?